quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Anita vai almoçar

Aqui a Anita vai almoçar quase todos os dias com a malta do escritório. Há uma da tarde todos os presentes pegam nas suas coisinhas e convergem para a entrada onde decidem onde vai ser a almoçarada desse dia.
Ora a minha secretária está praticamente no centro da localização geográfica dessa aglomeração por isso eu fui absorvida pelas massas e passei a fazer parte da trupe muito rapidamente.
Não foi difícil sentir-me integrada no grupo por duas razões: a primeira é que o grupo é maioritariamente constituído por gajas com problemas amorosos e a segunda e a mais importante é que eu sou a secretária do tipo a quem elas querem pedir conselhos. Ahhhh.. o poder. Eu sei sempre quando é que o Cardoso almoça com as galinhas. Aliás, não fosse eu engraçar com aquela gente e achar que até são todas boas pessoas ia ficar seriamente convencida que era só por isso que elas são simpáticas para mim.
Ao inicio as conversas eram mais tímidas, afinal havia por lá uma galinha nova que elas não conheciam e tinham algum tento na língua, mas não demorou muito para que mostrassem a sua verdadeira cara. Sim, que aquilo é um antro de galinhas depravadas!! Ouçam bem o que vos digo: depravadas!!! É por isso que me adaptei tão bem.
O pobre do Cardoso normalmente passa os almoços a ouvir as últimas desgraças dos relacionamentos das galinhas do escritório e a tentar dar-nos algumas luzes acerca da mente masculina.
A nós, galináceas atentas, só nos falta tomar notinhas em caderninhos com canetas de várias cores como na escola.
O tema do almoço de hoje foi o pseudo-namorado da Daniela.
A rapariga está com dúvidas existenciais pois embora andem enrolados há quase dois meses nunca ninguém pediu em namoro ao outro e embora haja uma espécie de contracto de exclusividade nunca foi algo sobre o qual tivessem falado. Assim, embora ela se sinta comprometida e não ande por aí a enfiar-se em calça alheia não sabe em que ponto da situação está o relacionamento.
O mestre do galinheiro disse na sua infinita sabedoria que se ela não está confortável com a situação na sua presente condição de “logo se vê” que deveria perguntar ao moço “olha lá, afinal como é que é?”.
A Daniela não é parva nenhuma e já sabia perfeitamente que era isso que tinha de fazer, no entanto (e agora vem a verdadeira questão que ela queria colocar ) não quer ter a conversa e acabar por ser ela a pedi-lo em namoro.
O mestre meditou por uns momentos perante o olhar espectante das galinhas e proferiu a sua sentença:
“Os homens têm alguma dificuldade em detectar subtilezas. Uma boca atirada para o ar do género “a não sei quantas perguntou-me se eu tinha namorado e eu fiquei sem saber o que responder porque tu nunca me pediste em namoro” é completamente desperdiçada na maior parte dos homens. A esmagadora maioria vai encolher os ombros e continuar o que estava a fazer... O melhor será dizer-lhe abertamente “olha, sabes que tu nunca me fizeste um pedido oficial de namoro? As miúdas – e por miúdas eu quero dizer EU – gostam disso, sabias?”. Depois é esperar. Se ao fim de uma semana ele ainda não te tiver “oficialmente” marcado como território seu ou não está assim tão interessado ou é mesmo burro que nem uma porta. Em qualquer dos casos mais vale mandá-lo dar uma volta e passar ao próximo. “
Todas nós absorvemos a informação e até acho que ouvi a Daniela balbuciar um sumido “sim, mestre”.
Não é que eu esteja a meter em causa a sabedoria do senhor do galinheiro, até porque ele tem mais experiência com a psique masculina num dedinho da mão esquerda (... e sem ser com a psique também...) do que eu nos meus 26 aninhos de existência, mas uma das vantagens de ter um blog é poder perguntar a quem aqui passa o que acham destas problemáticas de significativa relevância para o futuro da humanidade em geral.

4 comentários:

QJ disse...

Pois é Larajinha... há pessoal complicado...

Se são eles ou elas... não faço a menor ideia!

A mim parece-me que pende por aí uma coisa de tradicionalismo: "queres namorar comigo"?

Eu sempre achei que essa questão fica implícita no prolongar do relacionamento...

Ver todos e todas vestidos com um espartilhos como uma vez alguém escreveu num outro blog tem muito mais piada...

Beijos provocantes

Trolha disse...

Ana Laranja,
Gostei deste post. Equando digo que gosto de alguma coisa (coisas de gajas, claro) não o digo com 2.ªs ou 3.ªs intenções. Pq, atendendo à tua tenra idade, sexo entre nós é um caso de polícia.
Se queres ter um blog de su_sexo basta relatares, aqui, o ambiente diário do galinheiro e as recomendações do Mestre, às ditas cujas.
Contracto de exclusividade ??? Kéixu?

Um beijo

Felina disse...

Pedir em namoro é tão ridiculo como pedir a mão da noiva ao pai.
Se duas pessoas tem prazer na companhia uma da outra já está oficializado para quê mais protocolos?

Ana Laranja disse...

QJ: Espartilhos? Quem falou em espartilhos? Onde andam eles? (EU já tenho um novo.. ehehe)

Trolha: Eu aqui do alto dos meus 26 anos agradeço o conselho! :)

Felina: Não... quando é espontaneo é bonito e romantico e essas tretas todas!